fbpx
Select Page
Coronavírus

Covid-19: Estudo feito em Portugal confirma que anticorpos duram até cinco meses

Um estudo feito em Portugal, mas ainda não revisto por pares, confirmou que anticorpos contra o coronavírus da covid-19 permanecem no corpo até cinco meses após a infeção.

13 Setembro, 2020 - 11:27

Record TV com Lusa

Marc Veldhoen, que trabalha no Instituto de Medicina Molecular (IMM) João Lobo Antunes da Universidade de Lisboa, onde lidera o laboratório de Regulação do Sistema Imunitário, adiantou que o estudo vai ser apresentado a 18 de setembro a peritos da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Amostras de sangue de 189 pessoas (de um total de 210) acusaram a presença de anticorpos para o coronavírus passados 40 a 150 dias após um teste positivo de diagnóstico à covid-19.

As pessoas, entre os 18 e os 58 anos, eram saudáveis (não tinham uma doença conhecida) e a maioria (69%) eram homens.

O especialista encara os resultados com certo otimismo, uma vez que indicam que os anticorpos para o coronavírus SARS-CoV-2, na origem da doença respiratória covid-19, “podem circular, e é provável que circulem para a maioria das pessoas, durante esse tempo”.

“A boa notícia é que, nas pessoas das quais obtivemos amostras de sangue quase cinco meses após um teste para a covid-19 positivo, pudemos detetar ainda anticorpos e os níveis de IgC [um tipo de anticorpo] permaneceram bons”, afirmou o imunologista do IMM, acrescentando que os anticorpos detetados “são úteis”, pois, ao ligarem-se ao SARS-CoV-2, inibem o coronavírus de atacar as células, tendo por isso um efeito neutralizador.

O trabalho, considerado o mais extenso sobre a resposta do sistema imunitário ao SARS-CoV-2, teve por base testes serológicos (recolha de uma amostra de sangue que permite detetar anticorpos para o coronavírus) feitos a mais de 30 mil pessoas na Islândia.

ViajeCaDentro

Passatempo Oceanário

Últimas

SHARE RECORD TV MAGAZINE

Record TV Europa