fbpx
Select Page
Coronavírus

DGS recomenda vacina da AstraZeneca para pessoas acima de 60 anos

Informação foi comunicada pela Diretora-Geral da Saúde. Vacinação dos professores foi adiada por uma semana.

8 Abril, 2021 - 19:01

Inês Amado

A Diretora-Geral da Saúde (DGS) anunciou hoje que a administração da vacina desenvolvida pela AstraZeneca foi suspensa no país para pessoas com menos de 60 anos.

“Recordo que o objetivo da campanha de vacinação contra a covid-19 em Portugal é salvar vidas e prevenir a doença grave. Este objetivo é alcançado com qualquer uma das vacinas aprovadas e utilizadas. A Direção-Geral da Saúde recomenda, até estar disponível informação adicional, a administração da vacina da AstraZeneca a pessoas com mais de 60 anos”, confirmou Graça Freitas, numa conferência de imprensa de atualização de informação respeitante à administração da vacina desenvolvida pelo conglomerado anglo-sueco.

A mesma responsável salientou ainda que o plano “é ajustado para garantir que todas as pessoas serão vacinadas com a vacina que protege e é segura de acordo com os grupos prioritários definidos, minimizando eventuais riscos associados”.

No decorrer da comunicação ao país, Graça Freitas apelou às pessoas que foram inoculadas com a primeira dose da vacina da AstraZeneca que se “mantenham tranquilas”, visto que as “reações adversas que foram notificadas são extremamente raras”.

Porém, a dirigente recordou que essas mesmas pessoas “nos sete a catorze dias após a administração da vacina devem estar atentas a sintomas, nomeadamente a dores de cabeça persistentes, hematomas, manchas vermelhas na pele”.

O intervalo entre a administração das duas doses da vacina da AstraZeneca é de três meses, pelo que “neste tempo vamos ter informação adicional quer da firma produtora quer da Agência Europeia do Medicamento e agiremos em conformidade”, sublinhou Graça Freitas, dirigindo-se, assim, a quem recebeu a primeira dose.

No que diz respeito à vacinação dos professores que iria decorrer este fim-de-semana, as autoridades decidiram adiar a inoculação por uma semana, adiantou o coordenador da ‘task-force’.

“Por outro lado, temos uma população por vacinar acima dos 60 anos superior a dois milhões de habitantes. A vacina da AstraZeneca, sendo útil na vacinação dessa população, o plano não vai sofrer grandes alterações e essa vacina será útil para conseguir dar proteção também a uma população mais idosa“, esclareceu o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo.

No final da conferência de imprensa, o coordenador da ‘task-force’ afirmou que o país regista hoje um marco importante: “Hoje atingimos os dois milhões de doses administradas”, anunciou, referindo que “15% da população portuguesa recebeu a primeira dose e quase 6% já recebeu a segunda”.

Portugal segue assim os passos de outros países que, nos últimos dias, decidiram suspender a administração da vacina da AstraZeneca abaixo de determinadas idades.

Ontem, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) confirmou que existe uma “possível ligação” entre a vacina da AstraZeneca e “casos muito raros” de formação de coágulos sanguíneos, afirmando, porém, que os benefícios são superiores aos riscos do surgimento de efeitos secundários.

PUB

Últimas

PUB

Slide

SHARE RECORD TV MAGAZINE

Record TV Europa