fbpx
Select Page
Coronavírus

EMA confirma segurança da vacina da AstraZeneca

Casos de coágulos sanguíneos devem ser entendidos como uma situação muito rara.

7 Abril, 2021 - 16:52

Daniela Carrilho

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) voltou a reforçar que a vacina da AstraZeneca é segura, uma vez que os benefícios são superiores aos riscos da toma.

Os especialistas da agência estiveram reunidos para avaliar a ligação dos casos de coágulos sanguíneos registados após ter sido administrada a vacina a alguns pacientes.

“Tendo em conta todas as provas atualmente disponíveis, o nosso comité de risco confirmou que os benefícios da vacina da AstraZeneca a prevenir, são maiores que os riscos. A vacina é altamente eficaz. Os casos de coágulos sanguíneos raros após a vacinação devem ser listados como possíveis efeitos secundários”, afirmou Ema Cooke, diretora da EMA, salientando que o organismo continua a recomendar o uso do fármaco.

“A EMA encontrou uma possível relação [entre a vacina da AstraZeneca] e casos muito raros de coágulos de sangue incomuns com plaquetas sanguíneas baixas”, mas “confirma que o risco-benefício global permanece positivo”, informou o regulador.

Peter Arlett, Chefe do Departamento de Farmacovigilância e Epidemiologia da EMA, comparou a toma da vacina da AstraZeneca ao da toma de contracetivos, como a pílula.

“Um exemplo em que gostaria de atentar é [a relação entre] o uso do contracetivo oral combinado hormonal e os coágulos sanguíneos que ocorrem após a toma desses contracetivos, que são dados às mulheres que normalmente são saudáveis. Se foram dados contracetivos hormonais combinados durante um ano a 10.000 mulheres, haverá uma formação de coágulos sanguíneos em excesso nesse ano. Isto dá uma referência de outro medicamento dado a uma população saudável que também causa um efeito secundário, que ocorre, raramente, mas que precisamos de ter em consideração”, afirmou.

Momentos após a EMA ter reforçado confiança na segurança da vacina, António Costa reagiu ao parecer do regulador europeu.

“Todos os estados-membros devem respeitar as decisões da EMA e evitar tomar decisões unilaterais. Se os técnicos dizem que assim é, eu só tenho de dizer: muito bem”, defendeu o primeiro-ministro.

O chefe do Governo recordou ainda que está a decorrer uma reunião de urgência, convocada pela presidência portuguesa do conselho da UE, com os ministros da Saúde para debater as conclusões dos peritos sobre os eventuais riscos associados à vacina AstraZeneca.

Para António Costa, este encontro é importante para que a União Europeia tenha “uma posição coordenada” sobre a administração desta vacina contra a covid-19.

PUB

Últimas

PUB

Slide

SHARE RECORD TV MAGAZINE

Record TV Europa