fbpx
Select Page
Coronavírus

Pandemia provocou a morte de 15.396 pessoas nas últimas 24 horas

Em todo o mundo, foram detetados 3.168.333 desde os primeiros casos da infeção na China, em dezembro de 2019.

30 Abril, 2021 - 15:03

Record TV com Lusa

O relatório elaborado pela agência de notícias francesa com base em dados oficiais recebidos até às 10:00 GMT (11:00 em Lisboa), adianta que o número de infetados nas últimas 24 horas chegou aos 885.915, o que significa que o total de doentes desde o início da pandemia subiu para 150.446.870 pessoas.

Os países que registaram o maior número de mortes no último dia foram a Índia, com 3.498 óbitos, o Brasil, com 3.001, e os Estados Unidos, com 755.

Estes números, refere a AFP, são baseados em relatórios comunicados diariamente pelas autoridades de saúde de cada país e excluem as revisões posteriores feitas por agências de estatística, como acontece na Rússia, em Espanha e no Reino Unido.

Os Estados Unidos continuam a ser o país mais afetado em termos de mortes e de casos de infeção, somando 575.194 mortes e 32.289.257 casos, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil, com 401.186 mortos e 14.590.678 casos, o México, com 216.447 mortos e 2.340.934 casos, a Índia, com 208.330 mortos e 18.762.976 casos, e o Reino Unido, com 127.502 mortes e 4.414.242 casos.

Entre os países mais atingidos, a Hungria é o que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 283 mortes por cada 100.000 habitantes, seguida da República Checa (273), da Bósnia (259), do Montenegro (238) e da Bulgária (234).

A Europa totalizava hoje 1.066.253 mortes para 50.276.996 casos, enquanto a América Latina e as Caraíbas somavam 915.182 mortes em 28.689.948 casos.

A região dos Estados Unidos e Canadá contabilizava 599.359 mortes em 33.497.233 casos, a Ásia 334.959 mortes em 25.617.140 casos e o Médio Oriente 130.006 mortes em 7.770.907 casos.

A África contava 121.529 mortes em 4.551.468 casos e a Oceânia 1.045 mortes em 43.182 casos.

Desde o início da pandemia, o número de testes realizados aumentou substancialmente e as técnicas de rastreamento e despistagem melhoraram, levando a um aumento no número dos contágios declarados.

O número de casos diagnosticados, entretanto, reflete apenas uma fração do total real dos contágios, com uma proporção significativa dos casos menos graves ou assintomáticos ainda não detetados.

PUB

Últimas

PUB

Slide

SHARE RECORD TV MAGAZINE

Record TV Europa