Céline Dion revela diagnóstico de doença neurológica incurável

Céline Dion revela diagnóstico de doença neurológica incurável
REUTERS
PUB

Cantora viu-se obrigada a adiar os concertos da Courage World Tour para 2024 e cancelar outros oito espetáculos agendados para o verão de 2023.

Céline Dion revelou hoje que foi diagnosticada com a síndrome de Moersch-Woltmann – também conhecida como síndrome de pessoa rígida (SPR). Um distúrbio neurológico raro com características de uma doença autoimune.

“Recentemente, fui diagnosticada com um distúrbio neurológico muito raro chamado síndrome da pessoa rígida, que afeta cerca de uma em um milhão de pessoas”, explicou a artista.

No vídeo publicado nas suas redes sociais, a cantora de 54 anos informou que a sua condição provoca espasmos incontroláveis, prejudicando não só a sua condição física como também a sua capacidade para cantar e controlar a voz.

“Enquanto ainda estamos a perceber esta condição rara, agora sabemos que é isso que está causando todos os espasmos que tenho”, informou. “Infelizmente, esses espasmos afetam todos os aspetos da minha vida diária, às vezes causando dificuldades quando ando e não me permitindo usar as minhas cordas vocais para cantar da maneira que estou habituada”.

Dessa forma, a artista informou que não poderá realizar os concertos agendados para a Europa no próximo ano.

“Dói dizer-vos hoje que isso significa que não estarei em condições de reiniciar a minha digressão pela Europa em fevereiro”, anunciou.

Em 2014 a artista anunciou uma pausa por tempo “indeterminado” da carreira, enquanto o marido, René Angélil, lutava contra o cancro. A cantora ainda retomou os concertos mas em 2016, com a morte do marido e do irmão quase em simultâneo voltou a abandonar os palcos.  

Em 2019 a artista regressou ao trabalho com o lançamento do álbum de estúdio Courage, que contou com colaborações com Sia, Sam Smith e David Guetta.