fbpx
Select Page
Desporto

Portugal goleia na Lituânia com Ronaldo em destaque

Seleção lusa venceu a Lituânia por 5-1, com ‘póquer’ de CR7.

11 Setembro, 2019 - 09:22

Record TV com Lusa

A seleção portuguesa de futebol somou ontem o segundo triunfo no Grupo B de apuramento para o campeonato da Europa de 2020, ao golear a Lituânia por 5-1, em Vílnius, com Cristiano Ronaldo como protagonista.

O ‘capitão’ marcou quatro golos, aos 28, 62, 65 e 76, o primeiro de penálti e o segundo a meias com o guarda-redes Setkus, para um total de 93 por Portugal, e William Carvalho apontou o quinto, aos 90+2, enquanto Andriuskevicius faturou aos 28 para os locais.

O Grupo B é liderado pela Ucrânia (13 pontos, em cinco jogos), seguida por Portugal (oito em quatro), Sérvia (sete, em cinco). O Luxemburgo (quatro, em cinco) e Lituânia (um, em cinco).

Ronaldo mostrou-se “muito feliz” pelo “bom momento” da seleção portuguesa.

“Para mim, é um orgulho representar a seleção. Estamos a passar por um bom momento, eu estou a passar por um bom momento, a equipa esteve bastante bem hoje, como esteve também frente à Sérvia”, disse o ‘capitão’ da seleção lusa.

O jogador da Juventus conseguiu o seu segundo ‘póquer’ por Portugal.

“Desfrutar deste momento, não só por ter marcado os golos, mas por ver o nível que a equipa tem demonstrado nos últimos anos. Estou muito feliz por isso”, frisou Ronaldo que, no sábado, já tinha faturado uma vez, no 4-2 na Sérvia.

Segundo o avançado luso, Portugal já fez o mais difícil, com duas vitórias nesta jornada dupla, depois de ter começado a qualificação da pior forma, com empates caseiros face à Ucrânia, a zero, e à Sérvia, a um golo.

“Acho que o mais difícil foi feito, que era ganhar na Sérvia. Hoje, também, por isso estamos mais perto [do apuramento]. Se ganharmos mais um dos jogos [que faltam] já é suficiente”, afirmou o ‘7’ luso, que acabou substituído aos 79 minutos.

Ronaldo, que já eleito por cinco vezes o melhor jogador do mundo, é candidato, mais uma vez ao ‘The Best’ da FIFA, mas deixou claro que os prémios individuais não são o mais importante.

“Como digo sempre, não vivo o futebol pensando nos prémios individuais, mas obviamente que isso é uma consequência daquilo que ganhamos coletivamente. É bom, não vou mentir, mas não penso nisso. O importante era ajudar a seleção. Estou muito feliz e o que mais quero é continuar assim”, finalizou.

PUB

Últimas

SHARE RECORD TV MAGAZINE

Receba a nossa Newsletter

Record TV Europa