Record TV em destaque nos One World Media Awards

Record TV finalista nos one world media Awards

A emissora foi nomeada pela terceira vez consecutiva com um documentário sobre a ‘Cracolândia’. Também a reportagem sobre ‘Cambuci’ marca a estreia do serviço de streaming PlayPlus no certame.

Pela terceira vez consecutiva, o certame One World Media Awards aclamou a Record TV como finalista. Desta vez, o Grupo Record foi distinguido por ter, pela primeira vez, dois nomeados: o ‘Amor na Cracolândia’, documentário sobre um dos maiores supermercados de droga no Brasil; e ‘Haiti é no Cambuci’, reportagem produzida pelo PlayPlus, que marca a estreia do serviço de streaming no evento.  

‘O Haiti é no Cambuci’ (‘The Haiti is in Cambuci’) foi a reportagem nomeada na categoria ‘Curtas’. O trabalho jornalístico retrata a história da comunidade haitiana que chegou ao bairro de São Paulo e transformou a cidade. O documentário é um convite para todos conhecerem a realidade dos imigrantes que vivem num lugar onde a língua ‘crioula’ se tornou comum, onde as mulheres usam perucas e o prato mais apreciado é o peixe com banana da terra.   

A produção desta reportagem foi difícil e teve algumas complicações. Para além das pessoas serem reservadas e não quererem falar para as câmaras, a situação ficou ainda mais delicada após o assassinato do presidente Jovenel Moïse, em Porto Príncipe, capital do Haiti, durante as gravações.

Após semanas pelo bairro a conseguir ganhar a confiança e proximidade com as pessoas, o resultado foi impressionante. A história deste povo, para além de estrear um novo serviço de streaming na cerimónia, tornou-se finalista no evento.

‘O Amor na Cracolândia – Parte 1’ (‘Love in São Paulo’s Crackland’) foi a reportagem exibida em janeiro no programa ‘Repórter Record Investigação’ que concorreu na categoria ‘Documentário de TV’.  

O ‘Repórter Record Investigação’ partilhou histórias das pessoas que procuram os parentes pela região de maior consumo de droga (crack) do Brasil, em São Paulo.

Durante dois meses, o programa esteve com essas pessoas que partilharam histórias dramáticas, de amor e resiliência. Um exemplo de um testemunho intenso é Marilena, que procura todos os dias o seu marido, dependente de crack. Com três horas diárias de viagem e a enfrentar uma doença, Marilena deseja, incansavelmente, estar de novo perto do seu amado.

Juan é outro exemplo de uma história comovente. O paraguaio leva, todas as segundas-feiras, roupa, comida e, acima de tudo, amor ao seu filho de 33 anos, residente da Cracolância.

Este documentário deu a oportunidade à Record TV de, pelo terceiro ano consecutivo, consagrar-se finalista no One World Media Awards. A organização One World Media, sem fins lucrativos, está sediada em Londres e os vencedores dos prémios serão revelados a 16 de junho.