Covid-19 na gravidez pode levar a atrasos de desenvolvimento no bebé

Covid-19 na gravidez pode levar a atrasos de desenvolvimento no bebé
Envato

Os bebés que no útero foram expostos à covid têm maior risco de sofrer atrasos no desenvolvimento. A conclusão é de um estudo norte-americano, que alerta, no entanto, para a possibilidade destes problemas desaparecerem com o crescimento.

É mais uma consequência atribuída ao vírus da covid-19. Uma investigação realizada em Boston, nos Estados Unidos, demonstra que a exposição de um feto à infeção durante a gravidez pode aumentar de forma significativa o risco de atrasos de desenvolvimento neurológico, no primeiro ano de vida da criança, sobretudo se a contaminação ocorrer no último trimestre.

Os cientistas norte-americanos acreditam que, depois da exposição ao vírus na barriga da mãe, os danos no sistema nervoso do bebé são duas vezes mais comuns nos primeiros 12 meses.

O trabalho, publicado na revista científica JAMA, examinou os registos médicos eletrónicos de mais de 7 mil e 500 pacientes de seis hospitais. Verificou-se então que, comparativamente a fetos que não tiveram infeção por covid-19, as crianças que foram contaminadas no útero tinham uma probabilidade 80 a 90% mais elevada de ter algum atraso, tanto a nível da fala, como a nível motor. A situação agrava-se, naturalmente, quando os casos dizem respeito a recém-nascidos prematuros.

É preciso referir que o estudo teve em conta vários fatores de risco, como a idade materna ou a etnia… e que a associação entre covid na gravidez e danos neurológicos se manteve, mesmo depois de feita essa análise.

Não há, contudo, motivo para um grande alarme, já que os investigadores explicam que os atrasos identificados podem atenuar-se à medida que a criança cresce ou podem ser solucionados através de intervenções precoces.