Dá à luz bebé morto na casa de banho de prisão no Reino Unido

Dá à luz bebé morto na casa de banho de prisão no Reino Unido
PUB

Mulher, de 31 anos, não sabia que estava grávida.

De acordo com uma investigação da Prisons and Probation Ombudsman (PPO), uma reclusa deu à luz um bebé natimorto numa prisão em Cheshire, no Reino Unido.

A mulher foi presa em março de 2020 depois de admitir crimes de agressão, assédio racial agravado e danos criminais.

Louise Powell não sabia que estava grávida quando entrou no estabelecimento. Ainda assim, a sua advogada garante que os funcionários sabiam que a reclusa não tinha menstruação “há quatro ou cinco meses”.

No dia do parto, a reclusa sofreu fortes dores e começou a sangrar. Um guarda prisional contactou uma enfermeira por três vezes, sem sucesso, acabando por desistir e ignorar os seus pedidos de ajuda.

À BBC Newsnight, Louise afirmou que a “dor da morte” da criança, que nasceu entre as 27 e 31 semanas, “nunca desaparecerá”.

“Não posso perdoar a prisão por me deixar quando eu pedi ajuda e senti que estava a morrer. Eu estava a ter uma emergência médica e devia ter sido ajudada com urgência, em vez disso, fui abandonada. Quero justiça para a Brooke [a bebé], para que nunca outra mulher tenha que passar por este horror na prisão”, revelou a mulher, que fez o parto sem ajuda médica e sem medicação para as dores.

A investigação classificou o caso como “profundamente triste e angustiante e, independentemente da causa, não é aceitável que alguém fique com uma dor aguda inexplicável durante várias horas sem uma avaliação adequada ou alívio da dor”.