EUA: Republicanos lutam pelo controlo da Câmara dos Representantes

EUA: Republicanos lutam pelo controlo da Câmara dos Representantes
REUTERS/Quinn Glabicki

Eleições intercalares estão a ser mais disputadas do que se antecipada. Republicanos lideram neste momento a corrida pela conquista da Câmara dos Representantes, ainda que com votos abaixo do esperado. Luta pelo Senado continua em aberto.

Era esperada uma luta desigual com uma onda republicana a invadir a câmara dos Representantes, liderada pelos Democratas nos últimos anos.

Mas, enquanto milhões de votos ainda estão por contabilizar, os republicanos seguem na frente pelo controlo da Câmara baixa do Congresso, mas sem a vantagem avassaladora que era esperada.

O partido republicano segue na frente com 201 lugares enquanto os democratas resistem na corrida, com 179 lugares. São necessários 218 assentos para conseguir a maioria pretendida.

E se a corrida parece feroz na Câmara dos Representantes, o Senado está ainda mais imprevisível, numa altura em que faltam apurar estados chave como Arizona, Geórgia, Nevada e Wisconsin. A contagem dos votos poderá demorar dias.

A grande surpresa foi mesmo a eleição do democrata John Fetterman pela Pensilvânia, estado tradicionalmente republicano, um assento chave para o controlo da Câmara Alta do Congresso. 

Os democratas têm ainda a vantagem de que, se empatados, é a vice-presidente Kamala Harris que tem o voto de desempate.

Na disputa destas eleições estão também os lugares de Governadores e presidentes de Câmara, com os democratas a conseguirem Wisconsin, Michigan e Pensilvânia e os republicanos a elegerem os governadores de Flórida, Texas e Geórgia.

As eleições intercalares são o primeiro teste eleitoral a Joe Biden desde a sua eleição como presidente dos Estados Unidos. Apesar de ainda incertos, os resultados dão uma lufada de ar fresco ao atual Executivo, que tem estado sob várias críticas com Biden a sofrer uma queda na sua popularidade, devido alta inflação existente no país.