fbpx
Select Page
Mundo

Homem que matou mulher em França achava que “o lugar dela era em casa”

Relação durou cerca de 12 anos e o homem sempre se mostrou obsessivo e violento.

8 Março, 2019 - 11:49

Virginia Galván

Julie, de 34 anos, foi mortalmente alvejada pelo ex-companheiro, de quem estaria separada desde finais de setembro de 2018.

Segundo fonte próxima de Julie, esta era “completamente apaixonada” por Bruno Garcia, apesar da violência de que era alvo.

A relação durou cerca de 12 anos e o homem sempre se mostrou obsessivo e violento, inicialmente a nível psicológico, depois passando a agressões físicas.

Bruno achava que a mulher era feita para estar em casa, a cuidar do lar e dos filhos.

“Ele não queria que ela trabalhasse. Ela só pôde arranjar trabalho quando saiu de casa. Ela dedicou os últimos 10 anos, desde o nascimento do filho mais velho, a eles os três. Toda a sua vida girava em torno deles”, contou a amiga de Julie.

Julie foi várias vezes expulsa de casa, tendo de dormir no carro ou à porta de casa. Em setembro, Julie decidou que não voltaria.

No domingo, Bruno alvejou-a a perto da casa onde agora vivia, numa altura em que andavam a decidir quem ficava com a guarda das crianças.

O agressor entregou-se e confessou o crime.

Advertisements

Últimas

SHARE RECORD TV MAGAZINE

Record TV Europa