“Já chega”. Ex-ministro da Saúde pede demissão de Boris Johnson

“Já chega”. Ex-ministro da Saúde pede demissão de Boris Johnson
REUTERS

Sajid Javid explicou no Parlamento britânico que houve uma quebra de confiança e pediu aos ministros do Executivo para deixarem os respetivos cargos.

Foi um discurso de demissão em jeito de crítica e ultimato para os restantes membros do governo. Sajid Javid, era ontem ministro da Saúde e foi o primeiro a iniciar a debandada geral do atual Executivo.

Agora deputado, deixou claro: já não havia condições para continuar.

“Esta semana, novamente, temos motivos para questionar a verdade e a integridade do que nos foi dito. E em algum momento, temos que concluir que basta. Eu acredito que esse ponto é agora”, afirmou Sajid Javid.

Tal como o antigo ministro da Saúde, muitos outros membros do Governo pediram demissão. Mais de 30 funcionários do Executivo abandonaram o barco liderado por Boris Johnson: dois ministros, 15 secretários de estado com pastas como educação, cultura, ambiente e justiça, e outros funcionários.

“Acredito que uma equipa é tão boa quanto o seu capitão e o capitão será tão bom quanto a sua equipa. A lealdade vai nos dois sentidos Os eventos dos últimos meses tornaram cada vez mais difícil permanecer nesta equipa”, afirmou Sajid Javid.

Michael Gove, um dos membros mais firmes do partido Conservador, pediu a Boris Johnson que se demitisse.

Algo que parece não estar nos planos do primeiro-ministro que continua, até agora, a dizer que se mantém no governo. “O trabalho de um primeiro-ministro em circunstâncias difíceis, quando lhe foi atribuído um mandato colossal, é continuar”, afirmou o chefe do Governo britânico