Joe Biden e Xi Jinping reúnem-se em Bali

Joe Biden e Xi Jinping reúnem-se em Bali
REUTERS/Kevin Lamarque

Os dois líderes concordaram na necessidade de entendimento entre as respetivas nações, reprovando em uníssono a ameaça nuclear na Ucrânia.

No primeiro encontro enquanto chefes de Estado, Joe Biden e Xi Jinping reconheceram ambos a necessidade de um entendimento.

“Ficou claro que a China e os Estados Unidos devem saber trabalhar em conjunto para a resolução de problemas globais, que necessitem que cada nação faça à sua parte”, afirmou Joe Biden, à saída da reunião.

Durante o evento, também o líder chinês falou dos desafios na relação entre os dois países, reforçando também ele a necessidade de ultrapassá-los. “Atualmente, o relacionamento China-EUA está numa situação tal que provoca uma série preocupação, e esse não é o interesse fundamental dos nossos dois países e povos, e não é o que a comunidade internacional espera de nós”, explicou.

Após o encontro, que durou cerca de três horas, o presidente norte-americano disse que Xi Jinping foi direto de conciso, mostrando vontade para compromissos em vários assuntos.

Um dos pontos onde os dois líderes parecem concordar é a questão do conflito na Ucrânia, com a imprensa oficial de Pequim a revelar que o líder chinês, expressou uma grande preocupação com o escalar da violência.

Biden garantiu que Estados Unidos e China estão juntos na condenação da ameaça nuclear. “Discutimos a agressão russa contra a Ucrânia, reafirmando a nossa crença partilhada de que o uso de armas nucleares é totalmente inaceitável”.

Um dos temas mais sensíveis é a questão da Taiwan, com o presidente chinês a deixar o aviso ao líder norte-americano sobre ultrapassar a “linha vermelha” no assunto.

Biden por sua vez, relativizou uma eventual ameaça chinesa ao território asiático, deixando claro que a posição dos Estados Unidos sobre o tema, permanece a mesma. “Não acredito que haja uma tentativa iminente da China de invadir Taiwan. Deixei claro que a nossa política em Taiwan não mudou e que queremos esta questão resolvida de forma pacífica”, afirmou o presidente norte-americano.

Num momento sensível para as relações entre os dois países, Joe Biden confirmou que se mantém firme na defesa dos interesses norte-americanos e na preservação e respeito dos direitos humanos mundialmente, mas recusou escalar um para um eventual conflito com a China.

O presidente dos Estados Unidos confirmou que existe competição entre as duas nações, mas nunca o regresso de uma nova Guerra Fria.

O encontro bilateral, realizado em Bali, aconteceu à margem da Cimeira do G20 que começa oficialmente amanhã, num encontro de líderes que se antecipa ser de elevada tensão, devido ao conflito na Ucrânia.