Jovem morto em Espanha não era português

Jovem morto em Espanha não era português

Tinha documentos falsos e era procurado pelo rapto e violação de uma mulher.

O jovem morto numa rixa, na madrugada de segunda-feira, em Valladolid, não era português, conforme inicialmente avançado.

O jovem tinha documentos falsos e era procurado há duas semanas pela Polícia Nacional, pelo sequestro e violação de uma mulher.

A mulher seria uma prostituta ucraniana, mantida contra vontade no apartamento do homem e sujeita a maus tratos físicos e abusos sexuais.

Depois da autópsia, foi identificado como B. L. C, de 27 anos, natural de Valladolid.

Recorde-se que foi assassinado na sequência de uma rixa no interior de uma festa privada no ‘La Tía Pepa.