Mais de 1.380 pessoas detidas em protestos na Rússia contra a mobilização parcial

Mais de 1.380 pessoas detidas em protestos na Rússia contra a mobilização parcial
REUTERS

O Ministério Público de Moscovo advertiu de que punirá com até 15 anos de prisão a organização e participação em ações ilegais. A Rússia tem também assistido a um acentuado êxodo de cidadãos.

Pelo menos 1.386 pessoas foram detidas na Rússia nos protestos realizados na quarta-feira contra a mobilização parcial de cidadãos decretada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, para combaterem na guerra na Ucrânia, declarou hoje uma organização não-governamental (ONG).

“Pelo menos 1.386 pessoas foram detidas em 38 cidades”, afirmou hoje na rede social Telegram a organização independente OVD-Info, que rastreia as detenções e já foi declarada “agente estrangeiro” pelas autoridades russas.

A organização de direitos humanos relatou detidos em Moscovo, São Petersburgo, Ecaterimburgo, Perm, Ufa, Krasnoyarsk, Chelyabinsk, Irkutsk, Novosibirsk, Yakutsk, Ulan-Ude, Arkhangelsk, Korolev, Voronezh, Zheleznogorsk, Izhevsk, Tomsk, Salavat, Tyumen, Volgogrado, Petrozavodsk, Samara, Surgut, Smolensk, Belgorod e outras cidades.