Ministros de Boris Johnson demitem-se

Boris Johnson
REUTERS

Ministros da Saúde e das Finanças apresentaram demissões após nova polémica a envolver o nome do primeiro-ministro. 

São duas baixas de peso que colocam em causa o futuro do governo de Boris Johnson e a estabilidade política no Reino Unido.

Os ministros da Saúde e das Finanças apresentaram esta tarde a demissão. Sajid Javid informou da sua saída informando que “perdeu a confiança” em Boris Johnson.

Já Rishi Sunak, ministro das Finanças britânico lembrou na sua carta de demissão que “o público espera que o governo seja conduzido de forma adequada, competente e séria.

As saídas acontecem após uma nova polémica a envolver o primeiro-ministro. Boris Johnson viu-se envolvido no escândalo sexual protagonizado pelo deputado Chris Pincher, com um alto funcionário a dizer que Boris Johnson conhecia os comportamentos do deputado já em 2019, quando o nomeou vice-líder parlamentar.

Boris Johnson sempre negou qualquer conhecimento prévio da conduta de Pincher. Após o escândalo, o gabinete do primeiro-ministro disse que Boris Johnson “não se lembrava” daquela informação.

Este foi apenas mais um dos escândalos a envolver o líder britânico. O mais conhecido foi o escândalo Partygate, com Boris Johnson a organizar e participar em várias festas particulares durante o período de confinamento relativo à Covid-19.