Morreu a mulher mais velha do mundo

Morreu a mulher mais velha do mundo
Reprodução Twitter
PUB

Lucile Randon, conhecida como Irmã André, morreu aos 118 anos. Espanhola assume agora o lugar de pessoa mais velha do mundo.

Aos 118 anos, Lucile Randon morreu durante o sono, na residência de idosos onde viviva, em Toulon, no sul França.

“Morreu às 02:00 [01:00 em Lisboa]. A tristeza é grande, mas ela quis, foi o desejo dela juntar-se ao seu irmão querido. Para ela, é uma libertação”, explicou David Tavella, responsável pela comunicação do Sainte-Catherine-Labouré, estabelecimento onde a idosa morava.

Lucile Randon, que mais tarde se tornou freira, nasceu em 1904 no sul de França, tendo vivido duas grandes guerras. A irmã André, como ficou conhecida, teve tempo também de conhecer 27 chefes de Estado franceses.

Especialistas acreditam, tendo em conta os registos verificados, que Lucile era a mulher mais velha em todo o mundo. Um feito reconhecido pelo Livro dos Recordes do Guinness, em abril do ano passado, após a morte da japonesa Kane Tanaka, aos 119 anos.

María Branyas é agora a decana da humanidade

Com a morte de Lucile Randon, a catalã María Branyas com 115 anos é agora a pessoa mais velho do mundo. A informação é confirmada pelos registos do Gerontology Research Group (GRG), a fonte usada pelo Guinness World Records.

Branyas nasceu a 4 de março de 1907 em São Francisco, nos Estados Unidos tendo regressado à Catalunha, de onde era a família, aos sete anos em 1914. Há mais de 20 anos que a idosa tem morada na Residência Santa Maria del Tura, em Olot, na Catalunha.

María Branyas foi casada, teve três filhos, tendo hoje 11 netos e 13 bisnetos.