Três meses de guerra na Ucrânia

Três meses de guerra na Ucrânia

Rússia invadiu a Ucrânia a 24 de fevereiro.

Quase quatro mil civis mortos, é este o balanço oficial da ONU, de três meses de guerra na Ucrânia.

Seis milhões de pessoas abandonaram o país e estão a ser investigados mais de 13 mil casos de supostos crimes de guerra.

A Rússia invadiu a Ucrânia a 24 de fevereiro e, nestes 90 dias de guerra, cidades foram completamente arrasadas, escolas e hospitais destruídos e civis massacrados.

O Ocidente tem respondido com pesadas sanções à Rússia, que não teve o sucesso militar que esperava.

As tropas russas, que ainda não conseguiram chegar a Kiev, concentram-se agora na região do Donbass. 

Após várias rondas de negociações de paz, sem resultados, estão agora paradas há semanas.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, só aceitará reunir-se com o seu homólogo russo, Vladimir Putin. 

Na última declaração ao país, o Presidente ucraniano falou num banho de sangue em Desna, 87 pessoas mortas, num ataque a 17 de maio.

Zelensky defende que os Estados Unidos e todos os membros da NATO serão arrastados para uma guerra caso a Rússia conquiste a Ucrânia e avance para outros países.

“Se cairmos, se não aguentarmos a defensiva, a Rússia irá continuar e atacar os países bálticos, a Estónia, Lituânia e Letónia, e estados mais pequenos”, afirmou.