Ucrânia: Zelensky demite funcionários por alegada alta traição

Ucrânia: Zelensky demite funcionários por alegada alta traição
REUTERS/Valentyn Ogirenko

O presidente da Ucrânia demitiu o chefe do serviço de segurança e a procuradora-geral por alegada traição ao país.

O líder da resistência ucraniana acredita que há traidores dentro da própria equipa e tomou a decisão de demitir o chefe do serviço de segurança e a procuradora-geral da Ucrânia.

Volodymyr Zelensky afirma que mais de 60 funcionários têm estado a conspirar contra a nação em territórios ocupados pela Rússia e adiantou que foram abertos mais de 600 procedimentos criminais, relacionados com alta traição.

Em Bruxelas, os ministros dos Negócios Estrangeiros dos 27 estão reunidos para discutir os apoios à Ucrânia. O sétimo pacote de sanções contra Moscovo é um dos temas em discussão, sem esquecer que a prioridade é o acordo entre Rússia, Ucrânia e Nações Unidas para a retoma das exportações de cereais.

O chefe da diplomacia europeia, Josepp Borrell, fala mesmo numa questão de vida ou de morte, uma vez que milhares de pessoas dependem da segurança alimentar.