fbpx
Select Page
Portugal

Adiada leitura da decisão instrutória de Rui Pinto

O Tribunal de Instrução Criminal (TIC) de Lisboa adiou para sexta-feira a leitura da decisão instrutória de Rui Pinto e do advogado Aníbal Pinto, depois de proceder a uma "alteração da qualificação jurídica" dos crimes.

13 Janeiro, 2020 - 18:09

Record TV com Lusa

Em setembro de 2019, o Ministério Público acusou Rui Pinto de 147 crimes, 75 dos quais de acesso ilegítimo, 70 de violação de correspondência, sete deles agravados, um de sabotagem informática e um de tentativa de extorsão, por aceder aos sistemas informáticos do Sporting, da Doyen, da sociedade de advogados PLMJ, da Federação Portuguesa de Futebol e da Procuradoria-Geral da República, e posterior divulgação de dezenas de documentos confidenciais destas entidades.

As defesas de Rui Pinto e do seu antigo advogado, Aníbal Pinto, este último acusado de intermediar a tentativa de extorsão, de entre 500.000 euros a um milhão de euros, ao fundo de investimento Doyen, requereram a abertura da instrução, fase facultativa em que visa decidir por um juiz de instrução criminal se o processo segue e em que moldes para julgamento.

Cláudia Pina, juíza de instrução criminal, marcou para as 14:00 de sexta-feira a leitura da decisão instrutória.

ViajeCaDentro

Últimas

SHARE RECORD TV MAGAZINE

Record TV Europa