Começa a ser julgada dona de lar que omitiu morte de idosa

Encontrado morto idoso desaparecido no concelho de Santiago do Cacém
Envato

Mulher mandou cremar corpo sem avisar família, para continuar a receber pagamentos.

Começou ontem a ser julgada a dona de um lar de idosos, que ocultou a morte de uma utente, em Boleiros, Fátima.

O caso remonta a novembro de 2017, quando a idosa morreu.

A dona do lar fez-se passar por cunhada da idosa e, sem informar a família da morte, mandou cremar o corpo na Figueira da Foz.

O objetivo era continuar a receber o dinheiro das mensalidades do lar.

De acordo com o Ministério Público, a mulher engendrou ainda um esquema para criar um crédito fictício de quase 15 mil euros, e cobrá-los através de uma ação cível sobre o património da idosa.

A arguida, de 76 anos, está acusada por um crime de burla qualificada, dois crimes de falsificação de documento e um de profanação de cadáver.