Desemprego sobe há três meses seguidos

Acumulação de salário com subsídio de desemprego só abrange contratos de pelo menos 6 meses
PUB

O desemprego está a subir há três meses consecutivos, mas ainda assim é bem menor do que o registado no mesmo período do ano passado. Os dados do IEFP mostram, também, uma subida no número de casais com ambos os elementos sem trabalho.

É um aumento de 1,29 pontos percentuais, por comparação com o mês passado. Em outubro, o Instituto do Emprego e Formação Profissional registava uma subida no número de casais com ambos os elementos no desemprego.

São agora mais de 4 500. No entanto, apesar de ser um dado a saltar à vista, se olharmos para o mesmo período do ano passado, percebemos que o total de famílias nesta situação caiu mais de 14%. Os casais com duplo desemprego têm direito a mais 10% do valor da prestação de subsídio de desemprego, quando têm dependentes a cargo.

Os dados do IEFP conhecidos esta semana revelam também que o número de desempregados em geral tem estado a subir há três meses consecutivos. Depois de 1,9% em agosto e 1,6% em setembro, o valor registado em outubro mostra um aumento de 0,7% face a setembro, para um total próximo das 290 mil pessoas.

O Algarve foi a região onde o desemprego mais aumentou em relação ao mês de setembro, seguido do Alentejo, zona centro e açores. Já no Norte, em Lisboa e Vale do Tejo e na madeira, assistiu-se a um recuo.

Apesar desta subida em relação aos últimos três meses, a verdade é que o desemprego registado em outubro é, no entanto, inferior em quase 18 pontos percentuais ao contabilizado no mesmo período do ano passado.