fbpx
Select Page
Portugal

Legislativas: Líderes partidários já votaram

Mais de 10 milhões e oitocentos mil eleitores decidem, hoje, quem vai formar o governo para os próximos quatro anos.

6 Outubro, 2019 - 16:56

Mário Filipe Carneiro e Patrícia de Freitas
REUTERS/Rafael Marchante

É o dia do tudo ou nada. Pela 16.ª vez, os portugueses são chamados a votar nas eleições legislativas.

Este ano, houve um número recorde de forças políticas – 20 partidos e uma coligação – embora apenas 15 se apresentem a todos os círculos eleitorais.

António Costa, atual primeiro-ministro, votou em Benfica, Lisboa, por volta das 10h00 da manhã. Em declarações aos jornalistas, António Costa disse que espera que cada um dos portugueses faça a escolha que “deseja fazer”, mas realçou que o mais importante “é apelar para que haja uma grande participação eleitoral”.

Já Rui Rio votou no Porto, por volta das 11h30, acompanhado da filha que votou pela primeira vez na primeira eleição legislativa a que o pai concorre como líder do PSD. Em declarações aos jornalistas, Rui Rio disse esperar “que as pessoas cumpram o seu dever cívico e vão à urna”, até por “gratidão por todos os que lutaram para que hoje se possa votar livremente”.

O presidente social-democrata afirmou também que “se nenhum partido agradar, a solução não é não ir. É votar em branco.”

Catarina Martins, coordenadora do Bloco de Esquerda exerceu o seu direito ao voto na Escola Secundária Almeida Garret, em Vila Nova de Gaia.

A coordenadora do Bloco de Esquerda mostrou-se satisfeita com a afluência às urnas, horas depois destas terem aberto.

“É muito bom chegar aqui de manhã e ver que há gente a votar, é muito importante a participação e o apelo que eu faço a todas as pessoas é que não deixem de vir votar. Não deixem de vir escolher aquilo que acham que é o melhor projeto para o país.”, afirmou a coordenadora do Bloco de Esquerda.

Em 2015, a taxa de abstenção atingiu um recorde de 44,4%. Um número que não passou ao lado de Catarina Martins.

“Que ninguém deixe de exercer o seu direito de voto, que ninguém deixe de escolher, que toda a gente possa hoje utilizar o seu poder, que é o seu voto para decidir o que é que quer para este país nos próximos quatro anos”, acrescentou a líder do BE.

Cinquenta minutos foi o tempo que a líder do CDS-PP esperou na fila para poder exercer o direito de voto na escola secundária de Miraflores, em Oeiras. Confessou aos jornalistas que nunca esperou tanto tempo para votar e que estava satisfeita com a afluência que testemunhou.

Porém, também viu pessoas a acabar por desistir de estar na fila e aconselhou os eleitores a ir com tempo para votar, exercendo o direito de voto “com tranquilidade”.

Assunção Cristas estará acompanhada da família ao longo da tarde e mais logo segue para a sede do CDS para conhecer o resultados das sondagens.

Já Jerónimo de Sousa votou em Pirescôxe, em Loures, por volta das 11h00. Chegou acompanhado pelo neto mais velho que se estreia a votar nestas legislativas, aproveitando para apelar ao voto dos mais jovens.

O secretário-geral do PCP mostrou-se confiante com a hipotética redução da abstenção. À semelhança de outros líderes partidários, Jerónimo também está a passar o dia em família e desloca-se mais tarde com a comitiva para o Centro de Trabalho Vitória, em Lisboa.

Também André Silva votou por volta das 11h00 na freguesia dos Olivais, em Lisboa, reiterando estar “confiante” para os resultados desta noite. O deputado do PAN disse à comunicação social ser muito cedo para se falar numa coligação para solução de Governo, destacando que agora não é momento para “o PAN estar no Governo” mas sim de “crescer e de se consolidar”.

 

PUB

Últimas

SHARE RECORD TV MAGAZINE

Receba a nossa Newsletter

Record TV Europa