Fiscais da CM Lisboa detidos ficam em prisão preventiva

PJ investiga caso de bebé no lixo

Os dois fiscais de obras da Câmara Municipal de Lisboa hoje detidos pela Polícia Judiciária por suspeitas de corrupção passiva vão aguardar o processo em prisão preventiva.

Segundo fonte ligada à investigação, o terceiro arguido hoje detido pela PJ por suspeitas de corrupção, que é empresário e proprietário de uma obra em Lisboa, vai aguardar o desenrolar do inquérito sujeito à medida de coação de proibição de contactos com outras pessoas envolvidas no processo.

Os três suspeitos de corrupção foram hoje à tarde submetidos a interrogatório por um juiz de instrução criminal.

A PJ anunciou hoje que seguiu um “encontro previamente agendado” entre os dois fiscais da Divisão de Fiscalização da autarquia de Lisboa e um “cidadão proprietário de uma obra em curso na cidade de Lisboa”.

A investigação dirigida pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa levou à emissão de mandados para buscas domiciliárias e também nos postos de trabalho dos dois funcionários municipais.

A PJ revelou ter apreendido “prova relevante” e “elevadas quantias” de dinheiro.