Grávida percorre centenas de quilómetros para ser assistida

Grávida percorre centenas de quilómetros para ser assistida
Photo by Daniel Reche on Pexels.com
PUB

Uma grávida de 33 semanas percorreu 200 quilómetros para ser assistida num serviço de urgência obstétrica. A paciente, natural de Torres Vedras, foi encaminhada por lapso para o hospital de Abrantes e depois para Santarém.

A rutura da bolsa levou a grávida de 41 anos, natural de Vila Facaia, no concelho de Torres Vedras a pedir ajuda ao INEM.

Na madrugada de domingo, os bombeiros voluntários de Torres Vedras transportaram a paciente até ao hospital de Abrantes, conforme ordem dada pelo Centro de Orientação de Doentes Urgentes. A unidade que fica a 141 quilómetros de distância. Mas tal como a Urgência obstétrica das Caldas da Rainha, a unidade mais perto estava encerrada, segundo o plano de rotatividade de maternidades colocado em marcha pela direção executiva do SNS, também o hospital de Abrantes tinha a urgência fechada. De acordo com o jornal Correio da Manhã, o lapso do transporte foi assumido pelo CODU.

Num primeiro momento a mulher, grávida de 33 semanas, foi observada no hospital de Abrantes e como existiam condições de segurança foi transportada para a maternidade do Hospital de Santarém.

Apesar do percalço, tanto a mãe como o bebé em gestação estão bem de saúde. Ao todo percorreram 200 quilómetros para serem assistidos.

Nesta altura, o engano do Centro de Orientação de Doentes Urgentes está a ser apurado para que situações semelhantes não se repitam.