fbpx
Select Page
Portugal

Greve dos enfermeiros adia 5031 cirurgias

Dados divulgados pelo Ministério da Saúde indicam que 46% das cirurgias foram adiadas devido à paralisação dos enfermeiros entre 31 de janeiro e 19 de fevereiro.

22 Fevereiro, 2019 - 17:31

Vítor Alvito

O Ministério da Saúde divulgou esta sexta-feira os dados finais do impacto da greve dos enfermeiros dos blocos operatórios. Entre os dias 31 de janeiro e 19 de fevereiro, período em que decorreu a segunda fase da paralisação foram adiadas 5031 cirurgias, nos dez blocos operatórios em que vigorava o pré-aviso de greve. O Centro Hospitalar e Universitário de São João, no Porto, foi o mais afetado com 1334 operações canceladas devido, à greve, ou seja 54%. Logo a seguir vem o Centro Hospitalar Universitário do Porto com 977 cirurgias que ficaram por realizar.

Ao todo, durante a segunda fase da greve dos enfermeiros dos blocos operatórios deveriam ter sido realizadas 11022 cirurgias.

A Record TV contactou o gabinete de Marta Temido para perceber quantas cirurgias foram adiadas ou canceladas por outros motivos que não a greve, mas fonte governamental apenas disse que tal não foi contabilizado. Quer isto dizer que é impossível saber quantas cirurgias foram de facto feitas. Na informação disponibilizada aos jornalistas o executivo afirma que foram realizadas 5991 cirurgias. Um número que pode não ser real, já que neste lote estão cirurgias adiadas, por exemplo por motivos clínicos, por não comparência dos utentes ou por indisponibilidade do serviço.

Desde o dia 30 de janeiro que foram encerradas as negociações com os sindicatos… Mas o Governo espera sentar-se à mesma mesa com as estruturas sindicais já nos primeiros dias de março. A avaliação de desempenho e os tempos de trabalho serão os principais temas em discussão.

Veja aqui o impacto da greve nos diversos centros hospitalares.

 

Advertisements

Últimas

SHARE RECORD TV MAGAZINE

Receba a nossa Newsletter

Record TV Europa