Incêndio na Covilhã combatido por mais de 600 operacionais

IIncêndios: Há 21 pessoas em vigilância eletrónica pelo crime de incêndio florestal
LUSA/ Miguel Pereira da Silva

Cerca de três mil hectares já arderam no concelho segundo informou autarca da região.

O incêndio que lavra há três dias na Covilhã continua fora de controlo e a aldeia de Verdelhos é agora a maior preocupação, com os operacionais a tentarem salvar as habitações.

Às 16h30, de acordo com informações do site da Proteção Civil, o incêndio era combatido por 881 operacionais no terreno, apoiados por 205 viaturas e 12 meios aéreos. Por esta altura o incêndio apresenta duas frentes ativas: em Manteigas e Verdelhos. 

O fogo teve início sábado na localidade de Garrocho, na freguesia de freguesia de Cantar-Galo e Vila do Carvalho, tendo já consumido cerca de três mil hectares de floresta e mato no concelho, segundo contas da autarquia. Números que ganham uma dimensão ainda maior se pensarmos que o local, o Parque Natural da Serra da Estrela, é uma zona protegida pela UNESCO.

“A área ardida no concelho da Covilhã ronda os 3.000 hectares. Todo o incêndio deflagrou naquilo que é o PNSE, todo ele”, explicou José Serra dos Reis,  vice-presidente da Câmara da Covilhã à agência Lusa.