Mãe de Jéssica ameaçada

Jéssica morreu devido a uma dívida da mãe
D.R.

A mãe de Jéssica, a menina assassinada em Setúbal, está a ser alvo de fortes ameaças. A mulher foi obrigada a refugiar-se em casa de familiares para escapar à revolta dos populares. 

A mãe da menina de três anos, Inês Marinita, não foi constituída arguida nem foi detida até ao atual momento da investigação do Ministério Público e da PJ.

No entanto, a fúria popular tem sido uma constante contra Inês desde a detenção do trio a quem a PJ imputa a responsabilidade pela morte violenta da menina.

A indignação e a revolta de populares levaram uma multidão ao funeral, ao Tribunal de Setúbal e até a casa de Inês. A mãe de Jéssica deixou de conseguir sair à rua devido às ameaças constantes. A mulher chegou a pedir proteção policial mas não foi essa a solução encontrada.

Após Paulo Agostinho ter terminado a relação, Inês foi obrigada a mudar de residência, estando agora refugiada em casa de familiares.

Segundo a investigação da PJ, Jéssica, de apenas três anos, foi assassinada por três pessoas como forma de vingança e de coação para que Inês saldasse uma dívida de 400 euros.

Durante cinco dias esteve sequestrada e submetida a brutais agressões, acabando por ser entregue à mãe já no leito da morte. Jéssica morreu no Hospital de Setúbal na tarde de dia 20 de junho.

Até agora a Polícia Judiciária deteve um casal e a filha por suspeitas de homicídio qualificado, rapto, ofensas à integridade física, extorsão e omissão de auxílio. O trio está a aguardar o desenrolar da investigação em prisão preventiva.