fbpx
Select Page
Portugal

Marcelo afirma que dezembro será crucial no combate à pandemia

Presidente da República apelou à solidariedade dos portugueses nos próximos tempos num esforço conjunto para travar a progressão dos contágios.

20 Novembro, 2020 - 20:10

Record TV
Arquivo

Marcelo Rebelo de Sousa falou ao país ao início desta noite para esclarecer as razões pelas quais decidiu renovar o Estado de Emergência, que vigorará até 8 de dezembro.

“Acabo de decretar a renovação do Estado de Emergência das 00:00 de 24 de novembro às 23:59 de 8 de dezembro”, confirmou o Presidente da República, numa comunicação aos portugueses a partir do Palácio de Belém.

As circunstâncias epidemiológicas que o país vive, nomeadamente o aumento diário do número de óbitos e de pacientes internados na sequência de infeção por covid-19, justificam a necessidade de estender a medida, não obstante a desaceleração dos contágios em alguns concelhos, nas palavras do Chefe do Estado português.

“As medidas demoram mais tempo a produzir os resultados visados e quanto mais tarde forem tomadas, menos eficazes serão e mais tempo terão de demorar”, recordou o Presidente da República, sublinhando que “é fundamental tentar conter a pandemia em dezembro”.

Não se facilite. Não facilitem os decisores políticos e os portugueses em dezembro, do princípio ao fim de dezembro, para não ter de se sofrer um agravamento pesado ao virar de 2021. E que se procure continuar a tentar equilibrar esta exigência de tentar não parar a sociedade, a economia e a cultura”, frisou. 

“É provável que [ocorra] uma nova subida de casos, que uma terceira vaga possa ocorrer entre janeiro e fevereiro e será tanto maior quanto maior for o número de casos um mês antes. Importa tentar conter fortemente em dezembro o processo pandémico, mesmo que ele dias antes aparentasse ter passado o pico da chamada segunda vaga”, explicou Marcelo, aludindo a uma eventual terceira vaga da pandemia de covid-19. 

O Presidente da República deixou claro que, caso a gravidade da situação o exija, a renovação do Estado de Emergência continuará em cima da mesa.

“Se tudo isto impuser a ponderação, em devido tempo, de segunda renovação de Estado de Emergência de 9 a 23 de dezembro, ou mesmo mais renovações posteriores, que ninguém se iluda: Não hesitarei um segundo em propô-las para que o Governo disponha de base suficiente para aprovar o que tenha de ser aprovado”, declarou.

O Estado de Emergência foi renovado esta sexta-feira na Assembleia da República, com os votos favoráveis do PS,  do PSD e da deputada não inscrita Cristina Rodrigues. O PCP, PEV, Chega, Iniciativa Liberal e a deputada Joacine Katar Moreira votaram contra o documento e o BE, CDS-PP e PAN abstiveram-se.

Últimas

SHARE RECORD TV MAGAZINE

Record TV Europa