Megaoperação contra tráfico humano no Alentejo

PJ, Polícia Judiciária, inspetor, crime, investigação, arma de fogo, droga, tráfego

PJ deteve 35 pessoas por escravizarem imigrantes em campos agrícolas.

A Polícia Judiciária efetuou uma megaoperação no Alentejo por tráfico humano, associação criminosa e branqueamento de capitais.

Foram detidas 35 pessoas, por escravizarem imigrantes em campos agrícolas.

Os detidos têm idades compreendidas entre os 22 e os 58 anos de idade e são de nacionalidade estrangeira e portuguesa.

“As várias dezenas de vítimas de nacionalidades romena, moldova, marroquina, paquistanesa e senegalesa eram contratadas para explorações agrícolas em Beja, Cuba e Ferreira do Alentejo entre outros locais”, avançou fonte policial à Lusa.

As vítimas são atraídas para uma vida melhor em Portugal, mas o que encontram é escravidão.

A rede organizada a partir do distrito de Beja conta com angariadores no Leste da Europa, como na Ucrânia ou Roménia, além de países como a Índia, Paquistão ou Timor. 

Contam também com a colaboração de uma solicitadora da vila de Cuba, para a criação de empresas fantasma e falsificação de documentos.  

A rede criminosa obrigava os trabalhadores a devolverem-lhe uma parte substancial do seu vencimento e por vezes aplicava agressões físicas e coação.

A operação da PJ envolveu mais de 400 inspetores e 65 buscas.

Os detidos serão presentes ao juiz de instrução criminal, para primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação.