fbpx
Select Page
Portugal

Nova vaga de imigração em Portugal

Há uma nova vaga de gente qualificada que está a mudar-se para Portugal para estudar, trabalhar e viver. A comunidade brasileira continua a ser a mais representativa.

29 Junho, 2019 - 14:08

Diogo Ramalho

Mais novos ou mais velhos, com objetivos e vidas diferentes… Apenas com algo em comum: vir para Portugal para estudar, trabalhar e viver.

Longe vão os tempos em que a imigração representava a busca por trabalhos pouco desejados pelos portugueses.

Os novos imigrantes são mais do que nunca pessoas mais qualificadas e com mais recursos.

Entre janeiro de 2017 e agosto de 2018, aumentaram 83% os residentes não habituais em Portugal.

De acordo com os dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras do ano 2017, o grupo de imigrantes que mais procurou Portugal vem de países como o Brasil, Itália, França e Reino Unido.

Entre os anos de 2016 e 2017 houve um aumento da comunidade brasileira em Portugal, mais 5,1%. Destaque para a comunidade italiana, que foi a que obteve um maior aumento: 51,6%. Logo a seguir vem a comunidade francesa, com um aumento de 35,7%. Por último, a comunidade britânica, aumentou 5,3%.

Contrariamente ao que aconteceu no boom da emigração nos anos 2000 com imigrantes a chegar todos os dias de países como a Ucrânia e Cabo Verde, atualmente a vinda destes imigrantes diminuiu. A comunidade cabo-verdiana diminuiu 4,4%, bem como a ucraniana, que diminuiu 5,9%.

O mapa do país esta a redesenhar-se com as novas comunidades a fugir da capital do país, Lisboa, e a espalharem-se por vários distritos do país. Os distritos de Bragança e Beja representam dois dos mais procurados. Em Bragança a imigração cresceu 13,1%. Em Beja, 11,5%.

Taxas à parte, a verdade é que o perfil de imigração está a mudar. Os sociólogos defendem que esta mudança só pode beneficiar Portugal, tanto na economia como no crescimento da demografia.

Últimas

SHARE RECORD TV MAGAZINE

Receba a nossa Newsletter

Record TV Europa