Oito distritos do continente sob aviso vermelho devido ao calor

Mês de julho foi o mais quente dos últimos 92 anos
Envato

Temperaturas a superar os 40 graus colocam quase todo o território continental em alerta máximo.

Quase todo o território de Portugal continental apresenta hoje um perigo máximo e muito elevado de incêndio rural, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

A maioria dos concelhos em perigo máximo de incêndio rural está no interior norte e centro e no Algarve.

O perigo de incêndio, determinado pelo IPMA, tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo.

Os cálculos são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Devido às previsões meteorológicas dos próximos dias que apontam para o agravamento do risco de incêndios rurais, Portugal continental entrou hoje à meia-noite em situação de contingência.

A declaração da situação de contingência começou às 00:00 de hoje e deverá terminar às 23:59 de sexta-feira, mas, como já indicou o Ministério da Administração Interna (MAI), poderá “ser prolongada caso seja necessário” e “não exclui a adoção de outras medidas que possam resultar da permanente monitorização da situação”.

Por causa do tempo quente, o IPMA colocou os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Vila Real, Bragança, Guarda, Castelo Branco e Portalegre sob aviso vermelho, o mais grave.

O aviso vermelho, emitido pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), devido à persistência de valores extremamente elevados da temperatura máxima, vai estar em vigor a partir das 09:00 de hoje e até às 18:00 de quarta-feira, passando depois a laranja.

De acordo com o IPMA, o aviso vermelho corresponde a “uma situação meteorológica de risco extremo”.

Esta situação de tempo muito quente resulta da circulação de uma massa de ar muito quente e seca, originária no norte de África, que irá persistir até sexta-feira, com valores de temperatura acima ou muito acima da média, com exceção do litoral.