fbpx
Select Page
Portugal

Pessoas cegas vão votar de forma autónoma nas Eleições Europeias

As pessoas com deficiência visual vão poder votar autonomamente em Évora, através de voto em Braille, num projeto que será alargado a todo o país.

25 Maio, 2019 - 17:08

Record TV

Nas eleições de amanhã, as pessoas cegas vão poder votar de forma autónoma, segura e secreta através de boletins de voto em braille e este é “um passo extremamente importante”, na opinião da presidente da Associação de Cegos e Amblíopes de Portugal (ACAPO).

O grande objetivo do boletim de voto em braille é dar às pessoas cegas “condições de igualdade” no exercício de um dever.

O Governo fez uma demonstração do voto eletrónico em braille, um projeto-piloto que vai ser testado nas próximas eleições no distrito de Évora. Porém, ainda não será alargado a todo o país.

“É algo que nunca aconteceu no nosso país, possibilitar pela primeira vez que as pessoas com deficiência visual possam votar autonomamente, possam ter a certeza de que votam no partido ou na coligação que desejam”, destacou Tomé Coelho, presidente da ACAPO que esteve presente na demonstração.

O dirigente recordou que até então as pessoas cegas dependiam de uma pessoa que votasse por elas ao selecionar o boletim de voto do partido escolhido, o que lhes retirava a autonomia de voltarem em quem queriam.

Para Tomé Coelho, a existência de um boletim de voto em braille dá às pessoas cegas “condições de igualdade no exercício do seu direito e no cumprimento de dever de votar”.

O boletim de voto eletrónico é ainda uma experiência piloto, cujo resultado será apresentado à Assembleia da República em relatório, e cujo alargamento a todo o país ficará agendado para a próxima legislatura.

O voto eletrónico vai estar disponível em 50 mesas de voto distribuídas pelos 14 concelhos do distrito de Évora, a par das mesas tradicionais, ficando ao critério do eleitor como quer votar.

Em relação ao funcionamento do voto em braille, a secretaria de Estado para a Inclusão das Pessoas com Deficiência explicou que quando a pessoa se dirigir à mesa de voto, ser-lhe-á entregue uma matriz, com um boletim de voto no interior e a partir daí, a pessoa conseguem identificar os partidos e assinalar com uma cruz num quadrado recortado.

No caso do voto eletrónico, a máquina funciona de forma tátil, através de um sistema de voz e com recurso a auriculares. Está ligada a uma impressora que, no final do processo, imprime o voto em papel para depois ser colocado na urna.

PUB

Últimas

SHARE RECORD TV MAGAZINE

Receba a nossa Newsletter

Record TV Europa