Reservas de sangue estão no limite

Situação é crítica e urgente e as entidades responsáveis fazem novamente um apelo à dádiva de sangue. Veja a reportagem do Fala Portugal.

O vazio da sala de recolha de sangue mostra como os dias têm sido difíceis no Instituto do Sangue e Transplantação. As reservas de sangue dos hospitais estão no limite.

O cenário repete-se um ano depois. O ano passado, o país vivia o momento mais crítico da pandemia, com o número de mortes por covid-19 a bater recordes diários e com os portugueses em confinamento, os apelos à dádiva de sangue multiplicaram-se. Agora, os pedidos começaram em dezembro, mas as reservas continuam em baixo.

Na terça-feira, o Instituto Português do Sangue lançou novamente o repto a todos os potenciais dadores e há já quem os tenha recebido e respondido de imediato à chamada.

É um pequeno gesto que salva vidas. O Instituto Português do Sangue relembra que quem contraiu a covid-19 pode dar sangue 14 dias após a alta, e sete dias depois de levar a vacina também já pode contribuir. E seja qual for o grupo sanguíneo, saiba que é necessário.

Centros de recolha de sangue e hospitais são os locais onde se pode dirigir para repor as reservas e contribuir para que todos os dias se salvem vidas.

Veja o vídeo: