Suspeito dos homicídios na ilha do Pico confessa crime

Suspeito dos homicídios na ilha do Pico confessa crime

O suspeito detido pela PJ por um alegado duplo homicídio na ilha do Pico já confessou o crime às autoridades. A PJ já fez perícias ao local do crime.

Está em prisão preventiva e durante as diligências processuais, o homem de nacionalidade alemã terá confessado o crime às autoridades. Nas declarações que fez não só admitiu que tinha assassinado os dois amigos reformados, como também tinha queimado os corpos dos vizinhos para não deixar provas do homicídio.

O crime terá sido cometido junto à casa do suspeito, na freguesia de Candelária, na Ilha do Pico, já que um cheiro intenso a queimado foi detetado pela vizinhança na altura do desaparecimento dos dois homens.

No local, onde os inspetores da Polícia Judiciária já realizaram várias perícias, foram encontrados invólucros e vestígios biológicos. Provas que estarão agora a ser analisadas por peritos do laboratório da polícia científica da PJ.

Mário Coucelos e Mário Sobral, os amigos de 65 e 74 anos, estavam desaparecidos desde o dia 11 de setembro. Terão sido assassinados porque o alemão de 60 anos não queria ter vizinhos. A dupla teria visitado o terreno anexo à casa do suspeito com intenções de o comprar, mas à semelhança do que já tinha acontecido com outros potenciais compradores, o homem não gostou e partiu para a agressão. Desta vez, o desfecho foi bastante mais dramático.

Na casa de Tomislav Jozic, as autoridades encontraram um arsenal de armas. Entre armas de fogo, legais e ilegais, também punhais, lâminas e um silenciador foram apreendidos pela PJ.