Teatro do Porto apresenta projetos ucranianos

Marcelo recebe
Lusa

Ucrânia – Palco Livre é um programa dirigido a artistas de teatro e profissionais da cultura ucranianos a viver em Portugal.

O Teatro Carlos Alberto, no Porto, apresenta hoje projetos desenvolvidos por cidadãos ucranianos. O projeto “Ucrânia – Palco Livre” é dirigido a artistas de teatro e profissionais da cultura ucranianos que estejam a viver em Portugal. 

A organização do evento esclarece que os artistas, que vão subir ao palco este domingo, são cidadãos que se instalaram em Portugal no contexto da guerra e da crise humanitária na Ucrânia. 

“No fecho da temporada 2021-2022, cedemos o palco a ‘Cinco Estações’, apresentações públicas de projetos desenvolvidos no âmbito de ‘Ucrânia – Palco Livre’, um programa do Teatro Nacional São João”, estrutura que engloba o Teatro Carlos Alberto, pode ler-se em comunicado da organização. 

O programa Palco Livre já envolveu a atribuição de bolsas de criação artística a 11 profissionais, permitindo a artistas de várias disciplinas – teatro, dança, música, vídeo, fotografia – retomar a atividade no quadro da programação do São João e do seu Centro Educativo.

Assim, no domingo, em “A Minha Mãe Está Doente”, a partir de “Através da Pele”, da dramaturga ucraniana Natalia Blok, a encenadora Svitlana Gordiienko apresenta um breve ensaio sobre os efeitos subcutâneos da guerra e do que vier depois. 

A pianista Iryna Kudielina interpreta obras dos compositores ucranianos Mark Karminsky, Valentyn Silvestrov e Olena Antonik.

O programa completa-se no ‘foyer’ do Teatro Carlos Alberto com “Palco Livre: Crónicas”, uma projeção de fotografia de Ira Marconi e, com Vidpunkto, um projeto de videodança de Daria Yeremenko.

Com o projeto “Ucrânia – Palco Livre”, o Teatro Nacional São João “pretende promover a integração de artistas e outros profissionais ucranianos da Cultura recém-chegados a Portugal, numa estrutura de produção estável, e abrir um espaço de programação que lhes permita retomar a atividade artística no seu país de acolhimento”.

O Teatro Carlos Alberto, no Porto, apresenta hoje os projetos desenvolvidos no âmbito de Ucrânia – Palco Livre, um programa dirigido a artistas de teatro e profissionais da cultura ucranianos a viver em Portugal.

A organização do evento esclarece que estes artistas e agentes culturais se instalaram em Portugal, no contexto da guerra e da crise humanitária na Ucrânia, no comunicado hoje divulgado.

“No fecho da temporada 2021-2022, cedemos o palco a ‘Cinco Estações’, apresentações públicas de projetos desenvolvidos no âmbito de ‘Ucrânia – Palco Livre’, um programa do Teatro Nacional São João”, estrutura que engloba o Teatro Carlos Alberto, acrescenta a informação.

O programa Palco Livre já envolveu a atribuição de bolsas de criação artística a 11 profissionais, permitindo a artistas de várias disciplinas – teatro, dança, música, vídeo, fotografia – retomar a atividade no quadro da programação do São João e do seu Centro Educativo.

Assim, no domingo, em “A Minha Mãe Está Doente”, a partir de “Através da Pele”, da dramaturga ucraniana Natalia Blok, a encenadora Svitlana Gordiienko apresenta um breve ensaio sobre os efeitos subcutâneos da guerra e do que vier depois.

Daria Zhuravel convocou os participantes do projeto para verterem na curta-metragem “Postal”, cenas do processo interior de superação da experiência traumática que os une, e a pianista Iryna Kudielina interpreta obras dos compositores ucranianos Mark Karminsky, Valentyn Silvestrov e Olena Antonik.

O programa completa-se no ‘foyer’ do Teatro Carlos Alberto com “Palco Livre: Crónicas”, uma projeção de fotografia de Ira Marconi e, com Vidpunkto, um projeto de videodança de Daria Yeremenko.

Estes artistas ucranianos, refugiados em Portugal, receberam bolsas artísticas do Teatro Nacional São João, tendo inciado de imediato o desenvolvimento de projetos para esta instituição, como foi anunciado em maio.

As bolsas foram atribuídas no âmbito do projeto “Ucrânia – Palco Livre”, com uma dotação de 75.000 euros, criado pelo Nacional S. João, na sequência da invasão da Ucrânia pela Rússia e da crise humanitária daí resultante.

Alguns dos artistas abrangidos pelas bolsas, estiveram envolvidos “no processo de criação” da produção “Ensaio sobre a cegueira”, sobre José Saramago, com encenação de Nuno Cardoso, estreada em junho, segundo a informação inicial.

Em maio, o teatro nacional explicou igualmente que os bolseiros iriam criar ‘workshops’ e atividades no âmbito do Centro Educativo, “a pensar na comunidade escolar, mas também na comunidade ucraniana na região”.

Com o projeto “Ucrânia – Palco Livre”, o Teatro Nacional São João “pretende promover a integração de artistas e outros profissionais ucranianos da Cultura recém-chegados a Portugal, numa estrutura de produção estável, e abrir um espaço de programação que lhes permita retomar a atividade artística no seu país de acolhimento”.

O programa de bolsas foi anunciado em março, pouco depois da invasão militar da Ucrânia, pela Rússia e, na altura, o teatro indicava que planeava atribuir entre 20 e 40 bolsas de criação artística a profissionais da cultura ucranianos.

O montante disponível do projeto “Ucrânia – Palco Livre”, segundo informação então divulgada, poderia ainda aumentar em função do número de entidades que viesse a associar-se ao projeto.