A Record TV foi conhecer melhor o projeto e acompanhou a entrega de 15 máquinas à Proteção Civil de Lisboa.

Juntar o útil ao agradável. Foi isso que professores e alunos do Instituto Pupilos do Exército fizeram. O projeto ‘Social Bytes’ pretende utilizar os conhecimentos transmitidos aos jovens do curso de informática, no âmbito da reparação de hardware, em benefício de refugiados ucranianos.

O professor João Cortês explica que aprender enquanto se ajuda só traz vantagens, tanto para os alunos como para a comunidade. “No âmbito da disciplina de arquitetura de computadores, eles montam e desmontam os computadores e conseguem dar uma segunda vida a estas máquinas. Com isso, ajudam de alguma forma os refugiados que vão chegar e precisam de algumas máquinas para conseguir reiniciar a vida no nosso país. E assim os estudantes podem efetivamente aprender – e aprendem – ajudando.”

João Cortês - Alunos reparam e doam computadores a refugiados ucranianos
João Cortês | © Record TV Europa

Honrados por ajudar

Os computadores, que de outra forma iriam para o lixo, podem ser doados por qualquer pessoa. E após serem recondicionados voltam ao ativo. “São máquinas que estão ‘postas de lado’ e já não servem os propósitos das pessoas, mas para algumas das necessidades que existem hoje em dia – aulas à distância, pequenos trabalhos de computador e acessos à Internet – ainda podem ter uma segunda vida. Portanto, vamos aproveitando umas e tiramos de umas para criar outras que suportem essas utilizações”, explica o professor.

Diogo Almeida é aluno do curso e destaca o sucesso que tem sido o projeto. “Temos à volta de 25 computadores. Uma das maiores dificuldades é que muitos deles já estavam avariados. E estavam com muito pó, sujidade e a começar a queimar.”

Para os alunos, poder contribuir para melhorar a vida de quem mais precisa, dá uma motivação extra para cumprir o objetivo. “Para nós é uma grande honra podermos estar a ajudar estas pessoas carenciadas. Já que temos esta capacidade, e tratando-se de pessoas que vieram de um cenário triste, acaba por nos deixar a todos muito mais motivados e contentes por conseguirmos ajudar”, explica Diogo.

Ferramentas para aprender

Olga Horokhovska também faz parte do projeto. O facto de ter raízes ucranianas dá-lhe uma visão diferente da missão a que o projeto se propõe: “É muito bonito ver pessoas de outros países a apoiar a Ucrânia. E no meio disto tudo, tirando a guerra, é muito bonito ver esta união. Gosto muito de participar neste tipo de projetos e ver outras pessoas a participar também”.

Olga Horokhovska - Alunos reparam e doam computadores a refugiados ucranianos
Olga Horokhovska | © Record TV Europa

Todos os dias a instituição tem recebido doações de computadores. Até agora já conseguiram dar uma nova vida a cerca de 30. Quinze deles foram entregues à Proteção Civil Municipal de Lisboa, que depois reencaminhou-os para o Centro de Acolhimento de Emergência de Lisboa. É lá que pernoitam os refugiados quando chegam à cidade.

Os computadores vão servir, entre outras coisas, para que as crianças que estão no centro possam assistir a aulas online. E assim as máquinas voltam a recuperar a utilidade perdida, contribuindo para o desenvolvimento dos seus novos donos.

FONTE© Pasanheco, Envato