Já diz o ditado popular que “a pressa é inimiga da perfeição” e neste campo as férias planeadas repentinamente podem trazer alguns dissabores. Todos os anos por esta altura, a PSP deixa o alerta aos cidadãos e este ano não é exceção. Principalmente para quem procura organizar as férias online.

Neste período de férias, as fraudes mais comuns são as tentativas de burla, roubo de dados de cartões de crédito e phishing, revela a PSP.  

Conselhos da polícia para evitar ser burlado nas férias

– Não clique em links recebidos por email ou sms que não lhe transmitem confiança.

– Evite as ofertas pouco realistas. Os burlões podem aliciar com ofertas “demasiado boas para serem verdadeiras”, que por vezes parecem urgentes.

– Tenha atenção ao fazer a reserva. Se encontrou um anúncio online que mostra poucas fotos e de má qualidade

– Comunique, reserve e pague na plataforma diretamente, de forma a evitar pagamentos por depósito ou por transferência.

– Mantenha a conta segura e muita atenção às passwords.

– Denuncie qualquer anomalia, tentativa ou mesmo burla.

A PSP alerta ainda para a destreza e criatividade dos criminosos e, por isso, é preciso estar muito atento. Quem quer enganar utiliza todo o tipo de métodos e cada vez mais é recorrente a criação de sites aparentemente genuínos, com ofertas demasiado boas para serem verdadeiras. 

Contudo, se ainda assim, o utilizador for burlado é preciso não hesitar na hora de denunciar às autoridades. Na queixa apresentada deve conter o máximo de informações possível de forma a ajudar as polícias a investigar e chegar aos criminosos. Ou seja, apresentar recibos de pagamento, capturas de ecrã do anúncio em questão e até dados de contacto de quem praticou a burla. 

Este alerta surge para combater a criminalidade online, num período crítico marcado por alguma euforia de um regresso a umas férias de verão que, devido à pandemia de Covid-19, estiveram condicionadas nos últimos dois anos. 

FONTEKitzstocker, Envato