Com mais de 30 anos de carreira, Oscar Magrini é um dos atores mais destacados da sua geração e interpretou os mais diversos papéis. Apesar dessa vasta experiência, assume que Noé – “uma personagem tão icónica e um homem justo” – foi um presente divino. Bem-disposto e simpático, o artista considera também que a pandemia está a ser uma oportunidade única para que as pessoas se aproximem umas das outras, conhecendo-se melhor.

O ano de 2021 foi marcado pela superprodução ‘Gênesis’, onde viveu Noé. A que outra personagem histórica gostaria de dar vida?
Deus considerou que Noé e a sua família eram as pessoas ideais para repovoar o mundo e fiquei muito feliz por poder interpretar uma personagem tão importante. Outra personagem histórica? Gostaria de fazer Salomão. A Record TV irá estrear em breve a novela ‘Reis’, que vai retratar as vidas de Saul, Davi e Salomão. Gostava de fazer Salomão, mas, infelizmente, já há um ator escolhido para esse papel. [risos]

Ele [Noé] tenta ser uma pessoa justa, honesta, tentando sempre ajudar os outros. Isso é a minha característica, faço tudo para poder ajudar

A teledramaturgia histórica da Record TV tem causado grande impacto na TV brasileira e mundial. Prefere produções centradas em épocas passadas ou aquelas em que a ação decorre na atualidade?
Gosto das duas. Tive um prazer imenso ao fazer ‘Gênesis’, uma novela histórica em que aprofundei demais a minha preparação para a personagem… Não que eu não faça esse trabalho nas outras produções normais, contemporâneas, mas nesse caso foi especial. Amei fazer essa novela!

“Um ator deve trespassar barreiras”
Oscar Magrini deu vida ao carismático Noé, na superprodução ‘Gênesis’ | © Record TV

Sempre gostei dos animais. Gosto muito do campo, apesar de ser um homem de praia. Ter feito essa personagem [Noé] foi muito fantástico, porque nós fizemos workshop de moer comida e de madeira para construir a Arca. Nunca, em nenhuma outra produção, havia feito algo parecido, ao nível da preparação detalhada de uma personagem e respetiva história

Que características um ator deve ter? Ser ‘camaleónico’ é a mais importante? 
Não diria camaleónico, mas um ator deve trespassar barreiras, senão fica aquele ator que só muda o nome da personagem e mantém sempre o mesmo registo. E eu tento fazer sempre diferente – e entre teatro, cinema e televisão já dei vida a mais de 90 personagens… São sempre distintas, e é isso que é uma conquista para o ator, que reflete o seu trabalho. Implica sempre muita pesquisa, preparação, para podermos dar sempre o nosso melhor.

Quais são seus desejos para 2022?
Em primeiro lugar, quero saúde, sem a qual não fazemos nada. E querer é poder? Sim, é poder – mas só quando Deus permite. Então, desejo para mim e para todos os leitores que me estão a ler, muita saúde e trabalho em 2022, que não vai ser um ano fácil. Depois de tempos tão difíceis, estamos vivos e cada um de nós passou pelo que teve de passar – eu acredito nisso. Precisamos de muita saúde, trabalho e devemos mostrar-nos gratos com o que temos.

Que mensagem de bom ano pode deixar para os leitores da Share Magazine’?
Para todos os leitores da ‘Share Magazine’ posso dizer que fico muito feliz por voltar a falar convosco [nr: ao mesmo tempo, exibe a edição em papel da revista em que foi capa…] e desejo a todos um 2022 com muita saúde, realizações, paz no coração, compreensão, entendimento e amor pelo próximo – que é o que está a faltar. Tudo o que tem acontecido no mundo veio para ver se o ser humano é mais humano. Sejam humanos também e façam o bem ao próximo. Um beijo no coração de cada um de vocês!

FONTE© Record TV