Cristiane e Renato Cardoso - Share Magazine - Opinião
Cristiane e Renato Cardoso
+ posts

Apresentadores ‘The Love School

No início do casamento isso não costuma acontecer. Há amizade, diálogo e troca de informações. Os cônjuges vivem bem próximos um do outro. Mas, com o passar do tempo, é grande o risco de que certas coisas fiquem entre eles.

A carreira, os amigos, a Internet. O trabalho, e, às vezes, até os filhos e as atividades de lazer vão tomando o lugar do parceiro. Com isso, aos poucos, os dois se distanciam, apesar de continuarem morando debaixo do mesmo teto.

A proximidade e a intimidade do casamento devem ser protegidas. Abram mão do egoísmo

Procurem saber o que se passa na vida um do outro. Demonstrem interesse pelo que o parceiro se interessa. Entristeçam-se e alegrem-se juntos. Boas doses diárias de admiração e interesse mútuo podem aproximar cada vez mais um casal.

A balança das experiências

Um estudo mostrou que para cada experiência ruim no casamento são necessárias cinco experiências boas para compensar. Isso se deve ao fato de que as experiências ruins não se apagam facilmente.

Um casal interessado em manter uma boa convivência deve sempre avaliar o saldo de ocorrências de seu relacionamento. A briga do fim de semana ou o comentário infeliz do outro dia precisam ser devidamente compensados.

Só porque ‘errar é humano’ não significa que não precisamos reparar o erro. O tempo, neste caso, não repara, só acumula as lembranças ruins. As boas experiências, capazes de encobrir as ruins, não precisam ser grandiosas ou sofisticadas.

É fácil procurar agradar o parceiro – convidar para jantar fora, ajudar nas tarefas de casa, preparar o prato predileto, fazer um elogio… Não se preocupem em saber o motivo desta fórmula de cinco por um. Apenas façam, porque funciona!

Por opção dos autores, esta crónica está escrita em português do Brasil. Extraída do livro ‘120 minutos para blindar seu casamento’.