Cristiane e Renato Cardoso - Share Magazine - Opinião
Cristiane e Renato Cardoso
+ posts

Apresentadores ‘The Love School

Seria muito bom que todos tivéssemos consciência de que somos capazes de destruir nosso relacionamento com nossas próprias mãos. Isso acontece quando sabemos o que devemos fazer, mas na hora da raiva fazemos o contrário.

Muitas pessoas vivem num ciclo de ferir o parceiro, sentir remorso, pedir perdão e depois feri-lo de novo. E o pior é que pessoas que agem assim não conseguem enxergar seus próprios erros, culpando sempre o parceiro pelos problemas do relacionamento.

Por isso é necessário fazer uma autoavaliação e reconhecer os próprios erros e falhas. Talvez um dos parceiros não queira mais investir na relação porque acredita que o outro vai fazer tudo de novo. Está na hora de vocês tomarem a decisão de se tornarem pessoas melhores.

Cada um dos cônjuges deve deixar de prestar atenção nos erros dos outros e concentrar-se nos seus, precisa trabalhar para vencer a si mesmo. Tenham paciência, toda a mudança leva tempo.

Quando o sangue sobe

Por mais que um casal se ame, é comum que em alguns momentos um dos dois sinta tanta raiva do outro que pense até em fazer uma loucura. Sentir raiva é algo comum a todo ser humano quando se sente contrariado.

O problema não é sentir raiva, mas sim o que fazer quando ela vem. Muitos casais erram ao descarregar a raiva em cima do parceiro, e assim vão desgastando a relação. É preciso aprender a gerenciar a raiva, e até mesmo como usá-la para o próprio bem de vocês.

Não é tão difícil como parece. Há duas maneiras de gerenciar a raiva: ou você dá um tempo para deixá-la passar, ou a canaliza para outra coisa que não seja o seu parceiro.

Dê uma volta no quarteirão. Lave o carro. Qualquer coisa que consuma aquela energia emocional. Daí, com a cabeça fria, atue na situação que provocou a raiva.

Por opção dos autores, esta crónica está escrita em português do Brasil. Extraída do livro ‘120 minutos para blindar seu casamento’.

FONTE© Envato