Archie Battersbee: máquinas podem ser desligadas

Archie Battersbee: máquinas podem ser desligas hoje

Pais de Archie apresentaram um pedido ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos para travar o corte do suporte básico de vida ao menino de 12 anos.  

As máquinas que dão suporte básico de vida a Archie Battersbee, uma criança britânica de 12 anos em morte cerebral desde abril, podem ser desligadas a qualquer momento. 

Estava previsto que os médicos desligassem as máquinas de suporte de vida esta quarta-feira, pelas 11h00, mas o ato foi novamente interrompido, após os pais do menino terem avançado com um pedido ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos de forma a travar a decisão dos médicos, que é apoiada pelos tribunais britânicos. 

Os pais chegaram mesmo a pedir ajuda à Organização das Nações Unidas (ONU) que enviou, através de uma carta, um pedido para as máquinas que dão suporte de vida à criança não fossem desligadas. Ainda assim, e segundo explica o The Guardian, os tribunais britânicos não aceitaram a argumentação da ONU, reiterando que esta decisão não serve os melhores interesses do menino de 12 anos.

Os advogados que representam judicialmente os pais de Archie, consideram que a decisão dos tribunais do Reino Unido em ignorar a carta do Comité significa uma violação pelo direito internacional, com a família a insistir para instâncias superiores, de forma a evitar que o suporte de vida seja retirado. 

Archie foi encontrado pela mãe a 7 de abril com uma ligadura presa ao pescoço que lhe cortava a respiração. Foi levado para o hospital mas encontra-se desde essa altura em morte cerebral. Acredita-se que o menino ficou daquela forma após participar num desafio da rede social Tik Tok apelidado de “Blackout Challenge” e que consiste em apertar o pescoço de forma a ficar sem oxigénio até perder os sentidos. 

Apesar do quadro clínico complicado, os pais acreditam que o quadro clínico do menino pode melhorar, uma tese refutada pelos médicos.