Legislativas: Mudanças na Assembleia da República

Legislativas: Mudanças na Assembleia da República

Maioria absoluta socialista, o Chega como terceira força, a perda de representação do CDS e de Os Verdes foram as principais alterações da AR.

De acordo com os resultados globais, divulgados no site da Secretaria-Geral do Ministério de Administração Interna (SGMAI), as eleições legislativas foram ganhas pelo PS, com 41,68% dos votos e 117 deputados eleitos e o PSD foi o segundo partido mais votado, com 27,80% dos votos e 71 deputados, faltando ainda apurar os resultados dos círculos da Europa e Fora da Europa.

A taxa de abstenção foi de 42,04%.

As legislativas de 06 de outubro de 2019 foram ganhas pelo PS, que obteve 36,34% dos votos e elegeu 108 deputados. O PSD foi o segundo partido mais votado, com 27,76% dos votos e 79 deputados. Nessas eleições, a taxa de abstenção foi de 51,43%.

Além da maioria absoluta socialista, as legislativas de domingo mudaram o cenário parlamentar, com o Chega a ficar como a terceira força política (passando de um para 12 deputados eleitos), lugar que em 2019 era ocupado pelo Bloco de Esquerda (BE).

Também a Iniciativa Liberal, que há três anos foi o oitavo partido mais votado, elegendo um deputado, vê reforçada a sua presença no parlamento, passando para a quarta posição, ao eleger oito deputados, um lugar que em 2019 era ocupado pelo PCP.

O BE desceu uma posição, sendo agora a quinta força mais representada, sendo seguida pela CDU. O PAN vê a sua representação parlamentar descer de quatro deputados eleitos em 2019 para um, enquanto o Livre mantém um deputado no Parlamento

As legislativas de domingo ficam igualmente marcadas pela perda de representação parlamentar do CDS-PP, que em 2019 foi o quinto partido mais votado, elegendo cinco deputados, com o presidente do partido, Francisco Rodrigues dos Santos, a demitir-se no seguimento destes maus resultados. O Partido Ecologista `Os Verdes´, que concorreu em coligação com o PCP, perdeu a representação parlamentar.