PUB

Os pombos são muitas vezes um sério problema de insalubridade e higiene urbana. Porém, poucos são aqueles que já viram um pombo nos primeiros tempos de vida. As crias de pombo não primam pela beleza. Não têm penas e são cegas. Mas não é essa a razão pela qual não as vemos. Os ninhos dos pombos apenas se encontram em lugares que de tão altos provocam arrepios.

Os pombos urbanos são descendentes dos pombos-das-rochas e mantiveram o hábito de fazer os seus ninhos em lugares remotos. 

Além disso, os pombos bebés crescem muito rapidamente. Dois dias depois de nascerem já têm o dobro do tamanho e nos 33 dias seguintes tornam-se pombos adultos, prontos a enfrentar as aventuras das grandes cidades, abandonando o seu bem resguardado refúgio.

Podemos ‘dar milho aos pombos’?

Nas grandes cidades os pombos multiplicam-se rapidamente. As suas fezes espalhadas em ambiente urbano podem danificar edifícios e são patogénicos. Isso significa que podemos ser contagiados com doenças transmitidas por estas aves – e não é por acaso que em muitos lugares são consideradas uma praga.

Em várias cidades é inclusive proibido alimentar os pombos. Em Lisboa, por exemplo, a coima varia entre os 50 e os 1000 euros. Uma das mais elevadas taxas para sancionar este comportamento encontra-se na Alemanha, onde o valor pode ultrapassar os cinco mil euros.

© Envato

Porém, o caso da multa mais alta aconteceu na Suíça. Genevieve, uma senhora idosa, teve de pagar oito mil francos (perto de 8100 euros) por ter alimentado os pombos da cidade, supostamente porque não encontravam comida nas ruas limpas de Lausanne. Em sua defesa a cidadã argumentou que “os varredores de rua fazem tão bem o seu trabalho que os pombos estão a morrer de fome”.

Por serem foco de doenças, há quem apelide as pombos de ‘ratos do ar’. Estas aves contribuem também para a sujidade urbana e os seus excrementos danificam o património

E quem pensa que alimentar os pombos no seu terraço ou varanda é legal também está enganado. Há inclusivé contratos de arrendamentos que incluem uma cláusula que proíbe essa prática. Só em propriedade privada é possível dar comida a estes bichos voadores. O melhor, para quem quiser alimentá-los, é pôr um comedor numa árvore no próprio jardim.

Os pombos gostam de comer grãos, nozes e sementes, que podem ser combinados com milho, ervilhas, cevada, trigo, aveia, espelta, arroz, sementes de girassol, cânhamo, canola, linhaça, sementes de gergelim e trigo sarraceno.

Mas cuidado! Não se pode dar pão aos pombos, porque isso prejudica a sua digestão e saúde!

FONTE© Envato